O ano de 2020 foi diferente e desafiador para os negócios, mas, neste mês, reserva uma oportunidade para o comércio e para consumidores: a Black Friday. A famosa sexta-feira marcada por descontos será no próximo dia 27 de novembro.

O evento acontece sempre na sexta-feira, após o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, onde já é tradição. No Brasil, também tornou-se uma data bastante aguardada pelos descontos muito significativos oferecidos em todos os tipos de comércio.

Este ano, considerando as buscas no Google, a data deve ‘bombar’ por aqui.  Segundo opinião da diretora de negócios para o Varejo do Google Brasil, Gleidys Salvanha, publicada no site da Isto É Dinheiro, “essa data será de um consumidor mais cauteloso”, que já tem o hábito de pesquisar por preços baixos com antecedência.

Compare os índices de busca entre 2019 e 2020 de dois grandes setores que a pesquisa do Google mostrou:

– “Móveis e Decoração” – entre 22% a 51% acima do registrado no ano passado.

– “Alimentos e Bebidas”- estão nesse ano 40% e 23%, respectivamente, acima do verificado no ano anterior.

Ainda segundo o Google, alguns termos têm atingido recordes de busca, como é o caso de “cupom” e “cashback”, com crescimento de 30% e 74%, respectivamente. Outra tendência é a procura por frete grátis no buscador. Em julho deste ano, a busca pelo termo já era 118% maior do que no mesmo período de 2019.

Esse aumento na procura por produtos promocionais pode ser entendido como um reflexo da pandemia e da nova maneira que o consumidor está fazendo suas compras. E é um indicador para a movimentação de compras na Black Friday.

De onde surgiu a Black Friday?

Não se conhece, com certeza, o fato que deu origem à expressão. Alguns dizem que ela nasceu no final do século XIX, após duas instituições financeiras terem quebrado, coincidentemente, em uma sexta-feira em plena corrida do ouro.

Outros dizem que o termo foi criado por policiais americanos na década de 1960 para se referir ao dia após o feriado do Dia de Ação de Graças, em que o trânsito se tornava um caos. Daí surgiu a grande oportunidade de venda para os lojistas que se aproveitavam do congestionamento e faziam promoções para atrair quem passasse por lá.

No Brasil, uma das primeiras referências à Black Friday foi em 2011, com o portal Busca Descontos e, desde então, cresce exponencialmente, batendo recorde de vendas ano a ano.

Diferentemente dos Estados Unidos, a Black Friday no Brasil começou como um evento exclusivamente on-line que passou para o varejo físico e atualmente atinge desde o pequeno até o grande varejista.

Oportunidade para lojista

O dia oficial da Black Friday é na última sexta-feira de novembro, mas muitos lojistas, de olho no incremento das vendas, antecipam e estendem os descontos oferecidos. Com esse movimento, e uma infinidade de campanhas de marketing, mais vendas são geradas.

Nessa época, o consumidor acaba esperando a data para fazer suas compras, especialmente as de grande valor, mas os produtos mais baratos também são muito cobiçados.

Para o lojista, é uma oportunidade de alavancar suas vendas. Não há motivos para os setores de comércio e também de serviços ficarem fora da Black Friday. Afinal, consumidores de todo o País esperam a data e não realizar campanhas promocionais faz o cliente procurar a concorrência.

“É a segunda data mais lucrativa do ano para o comércio, perdendo apenas para o Natal. A diferença é que na Black Friday os consumidores geram a expectativa com relação a descontos, então é um processo que precisa ser muito bem pensado pela empresa, para saber se ela está preparada para oferecer os descontos e atrair os clientes”, aponta o coordenador do Escritório Sebrae de Aparecida de Goiânia, Éder Oliveira.

O especialista afirma que, neste ano, por causa da pandemia de covid-19, é esperado que os consumidores optem ainda mais pelas compras on-line. Para atender a esta demanda, o empresário precisa se preparar para a atuação na web. Para Éder, trata-se de um investimento que vale a pena, pois trará retornos não apenas na Black Friday em 2020, mas também nos próximos anos.

“A pandemia acelerou muito o processo de digitalização das empresas. Isso já estava acontecendo de uma forma mais lenta e é uma mudança que veio para ficar, independentemente da covid-19 acabar ou não. Ao atuar na internet, você rompe barreiras e tem condições de negociar com clientes que de forma física não teria como acessar”, explica.

Por outro lado, se destacar na internet também requer mais dedicação. “A concorrência é maior, mais predatória. Se você estiver bem preparado poderá se diferenciar, por exemplo, com um atendimento humanizado”, sugere Éder Oliveira.

Clique aqui e conheça as dicas do Sebrae para lojistas aproveitarem a Black Friday.

Especialistas em comunicação também são unânimes em afirmar que a divulgação das promoções nas redes sociais, bem como na home do site da empresa, é essencial para que os consumidores percebam seu negócio nessa data. Mas é importante considerar que praticamente todas as lojas também estarão em evidência, então é recomendável que as empresas busquem apoio profissional para se diferenciar com criatividade.

Além disso, lojistas precisam ficar atentos ao estoque para a data, considerando que o volume de vendas pode aumentar muito. Aceitar diferentes tipos de pagamento também é essencialpara não perder vendas, mas devem ser ágeis e confiáveis.

Não caia na armadilha da ‘black fraude’

Desconto é coisa séria. Por isso, quanto maior for o desconto real em um produto, mais ele será escolhido pelo consumidor. E engana-se quem acha que passa a perna no cliente. Ele está cada vez mais bem informado sobre o preço real dos produtos.

O Brasil, infelizmente, ganhou fama de vender ‘o dobro do preço pela metade’. Isto quer dizer que um produto que antes da Black Friday custava R$100, é apresentado pela loja durante a promoção como “De R$200 por R$100”. A prática ganhou nome de ‘Black Fraude’ e está na mira do Procon em todo o País.

Honestidade é, nesse caso, garantia de boas vendas. Tentar enganar o consumidor pode significar perdê-lo para sempre. Dar benefícios como o frete grátis também pode atrair mais consumidores. Com o aumento das vendas, o lucro pode ser ainda maior do que se tivesse cobrando a taxa. Além de ser uma oportunidade de ganhar clientes, a Black Friday também é uma oportunidade para fidelizá-los.

Vantagens para o consumidor

Sem dúvida, a Black Friday é uma oportunidade para compras com preços menores que a média de mercado. Mas não é difícil se perder com uma lista gigantesca de produtos para comprar. Além de ficar atento para garantir descontos reais, veja as dicas que selecionamos para aproveitar melhor a data:

1 – Eleja prioridades

Faça a sua lista de compras com poucos itens, aqueles que você realmente deseja. Dê prioridade aos de maior valor, com alto percentual de desconto durante a data. Mantenha seu foco em encontrar e comprar esses produtos.

2 – Faça pesquisas antecipadas

Visite os sites das lojas que vendem os produtos de seu interesse, com antecedência. Outra opção é visitar sites que divulgam promoções. O BlackFriday.com é um exemplo desses sites, que sempre divulga as promoções assim que os varejistas publicam os preços em oferta, em geral bem no começo da semana da Black Friday.

3) Pense em alternativas

Algumas lojas são referência para alguns tipos de produtos. É natural. Como já dissemos, a comunicação bem feita dessas marcas aumentam o índice de lembrança na mente do consumidor. Mas muitos produtos da sua lista de prioridades podem ser vendidos em lugares menos óbvios. Não deixe de fazer sua busca em lojas de departamentos e de multiprodutos, especialmente quando se trata de eletrônicos.

4) Não visite lojas sozinho

Se preferir fazer suas compras em lojas físicas, vá sempre acompanhado. Isso é uma vantagem porque para comprar produtos diferentes, vocês podem se dividir e aumentar as chances de conseguir comprar tudo. Além disso, com mais pessoas é mais fácil carregar as compras sem esquecer pacotes. E é sempre mais seguro estar em grupo, mas sem esquecer do necessário distanciamento neste momento pandêmico, claro.

5) Controle o pagamento

Verifique as formas de pagamento oferecidas pela loja de sua escolha. A definição do meio de pagamento pode ser um fator importantíssimo para operações seguras.

O Sicoob Engecred oferece o cartão virtual, uma espécie de segundo cartão de crédito ou débito conectado ao mesmo limite e fatura do cartão físico. O cartão virtual tem número, data de validade e código de segurança (CVV) próprios e é um aliado para fazer uma compra segura na internet.

Você também poderá optar pelo PIX, forma de pagamentos instantâneos, que foi ativado pelo Banco Central no dia 16 de novembro. Se você cadastrou a chave do PIX na cooperativa, poderá fazer pagamentos digitais em até 10 segundos, funcionando 24 horas por dia, 7 dias por semana e em todos os dias do ano. O cadastro da chave PIX é feito por meio do aplicativo App Sicoob.

Você ainda não é um cooperado do Sicoob Engecred?

Clique aqui e associe-se!

Postado por Sicoob Engecred

O Sicoob Engecred é uma das mais sólidas e respeitadas instituições financeiras cooperativas do país. Alia gestão eficaz, carteira diversificada, atendimento diferenciado e foco no resultado dos associados para ser reconhecida como a principal instituição financeira de cada cooperado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *